Condomínio seguro: 8 formas de controlar o acesso

Tempo de leitura: 6 minutos

Apesar de as taxas de violência e criminalidade terem caído no primeiro trimestre de 2019 (41% em roubos de instituições financeiras, 30% no roubo de veículos, 23% dos roubos seguidos de morte e 11% nas tentativas de homicídio) ainda há muita insegurança nas residências. Por isso, pensar em alternativas para manter o condomínio seguro deve ser uma das prioridades para os síndicos.

Portanto, ter muita atenção em controlar quem acessa e circula no condomínio é fundamental para manter a segurança de todos os moradores. Afinal, atualmente, encontramos diversas possibilidades para que o controle seja cada vez mais eficiente tanto nos prédios quanto nas residências.

Vamos aprender algumas alternativas para manter o condomínio seguro? Venha conosco!

1. Tenha um bom sistema para a identificação e registro de visitantes

É muito importante ter um bom sistema para identificar e registrar os visitantes do seu prédio. Afinal, se isso não acontecer, um ladrão pode muito bem se passar por um visitante.

Instale medidas de segurança na guarita para que a pessoa que está de fora seja obrigada a se registrar. Uma ideia é ter um bom sistema de portaria, com um profissional que só libere o acesso de pessoas estranhas mediante a aprovação do condômino responsável.

Dessa forma, se o morador não estiver no condomínio naquele momento, o visitante não pode entrar. Também pode haver uma autorização por escrito, quando o visitante pode subir e aguardar no aparamento enquanto o morador não chega.

Além disso, é importante manter o registro da hora de entrada e saída dos visitantes, bem como anotar o número do seu documento de identificação. Lembre-se de quanto mais burocrático e cauteloso for a entrada de pessoas ao condomínio, mais facilmente os ladrões perceberão de que o acesso ao condomínio não é tão simples quanto parece.

2. Tenha um controle de acesso às áreas comuns

É muito comum os prédios terem áreas de lazer como academia, piscina e até mesmo salão de festas. Por isso, é importante ter registrado na Convenção Condominial quem pode ter acesso às essas áreas.

Imagine que o prédio tenha uma piscina para os moradores. Se cada apartamento convidar dez amigos para fazer uma festa nessa área, certamente, vai congestionar o ambiente e causar muitas dores de cabeça, você concorda?

Portanto, o primeiro passo é ter um bom registro sobre quem pode (ou não) transitar por essas áreas. Depois, é necessário investir em um bom controle para essas áreas — como é o caso das catracas de acesso.

3. Conscientize os moradores

Todos os prédios têm as suas devidas regras e é necessário segui-las para a segurança de todos. No entanto, com o passar dos anos os moradores acabam “esquecendo” que algumas providências foram tomadas visando à sua segurança.

Por exemplo, um morador pode fazer um escândalo porque um visitante não pode entrar enquanto ele estava ausente. Essas e outras situações podem acontecer se o síndico não investir em campanhas de conscientização para os moradores.

Portanto, trabalhe com uma boa comunicação interna (seja nos murais, por SMS, por e-mail ou outros) para retomar as principais medidas de segurança do condomínio.

4. Utilize um bom software de gestão para manter o condomínio seguro

Atualmente, encontramos diversas empresas que criam softwares personalizados para a realidade do seu prédio. Então, invista nesses equipamentos para ter um condomínio seguro.

Além de controlar e registrar o acesso de pessoas circulando no condomínio, esses sistemas podem ser integrados para facilitar o dia a dia da organização do condomínio como contas a pagar, contas a receber, emitir boletos das taxas condominiais e muito mais.

5. Instale câmeras de segurança

Outra medida para manter o condomínio seguro é a instalação de câmeras de segurança nas dependências do prédio. Elas ajudam a inibir a atenção de pessoas mal intencionadas e ainda servem como uma medida protetiva no caso de confusões.

Dessa maneira, é possível conferir às imagens e utilizá-las como prova no caso de algum processo judicial. Com essa vigilância eletrônica por 24 horas ajuda a informar o que está acontecendo no prédio.

Além disso, as imagens podem ser acessadas de forma remota, ou seja, se o síndico sai de férias ou não pode estar presente naquele momento no condomínio, ele pode acessar as imagens pelo seu celular e tomar as providências necessárias em caso de turbulências.

6. Instale alarmes no prédio

Principalmente os primeiros andares que estão no térreo (ou até mesmo aqueles que têm cobertura), na qual há mais facilidade para um ladrão entrar é importante instalar alarmes.

Dessa maneira, o sistema envia um alerta ao dispositivo cadastrado quando há alguma ocorrência nesses locais protegidos. Outros ambientes que podem ter alarmes são a academia e o salão de festas. Nesses casos, o alarme pode ser acionado quando não tem mais ninguém utilizando.

7. Contrate profissionais especializados para fazer a segurança do prédio

Principalmente se o prédio é grande e há grande circulação de pessoas é importante contar com a ajuda de uma empresa especializada. Esses profissionais são qualificados e experientes, ou seja, sabem exatamente como agir em caso de assaltos e outras turbulências que podem acontecer.

Além disso, todos os profissionais extras (como serviço de limpeza, jardinagem, zeladoria e outros) precisam ser capacitados e estarem devidamente registrados para circular no condomínio.

8. Use a guarita como ponto estratégico de vigilância

Outra ferramenta que ajuda a manter o condomínio seguro é a guarita, que deve ser instalada em um ponto estratégico para a vigilância. Ela é uma torre em que tem um profissional qualificado com boa visão de tudo o que está acontecendo no prédio.

Ela também deve ser uma passagem obrigatória para quem entra e sai do prédio, impedindo ou liberando a entrada de pessoas. No entanto, é preciso contar com um profissional responsável para nunca deixar o ambiente abandonado (são nesses momentos que o prédio fica vulnerável aos assaltos).

Pensar em alternativas para manter o condomínio seguro é uma obrigação de todos os síndicos. Afinal, é a vida e o patrimônio de diversas famílias que está em jogo. Sendo assim, pensar em medidas para controlar quem circula no condomínio é uma ótima alternativa para evitar assaltos.

Neste post, você conferiu 8 alternativas para manter o seu condomínio seguro. Você gostou das nossas ideias? Sim? Então, aproveite também para conferir o nosso e-book do manual do bairro seguro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *